BLOG

Como controlar a produção de DHT para interromper a calvície

Calvície

Como controlar a produção de DHT para interromper a calvície?

A alopecia androgenética (ou calvície) é uma patologia capilar que, apesar de ser mais frequente nos homens, também acomete as mulheres.

Esse tipo de alopecia está diretamente ligado a fatores genéticos e a uma maior sensibilidade de cada pessoa ao hormônio DHT (diidrotestosterona), produzido a partir da testosterona, por ação da enzima 5-alfa-redutase.

Essa maior sensibilidade ao hormônio é uma tendência hereditária e não há como mudar, no entanto existem formas de controlar a produção de DHT, o que pode trazer benefícios para a queda de cabelo.

Neste artigo você vai conhecer um pouco mais sobre esse tipo de calvície, que é responsável por mais de 90% das causas de queda de cabelo, além de aprender como é possível controlar a produção de DHT.

Hormônio DHT: o que é e qual sua relação com a calvície

O DHT é um hormônio andrógeno (ou seja, está presente em homens e mulheres), mas é encontrado principalmente no sexo masculino. Apesar de ser útil e exercer funções importantes, especialmente para os homens, pode levar à à perda definitiva do cabelo em pessoas com maior sensibilidade à sua ação.

Ao ligar-se aos receptores dos bulbos capilares, o DHT vai progressivamente reduzindo o número de células que produzem cabelo. Com menos células produzindo, os fios vão se tornando cada vez mais finos e fracos (miniaturização dos fios), até que eles caem.

Além disso, outro efeito provocado pelo DHT é a redução no tempo da fase anágena, que é a fase de crescimento do cabelo. Com isso, os fios têm menos tempo para crescer, chegando mais cedo à fase da queda.

Leia também!

Calvície masculina e feminina: entenda as diferenças

Como controlar a produção de DHT

Uma das formas de combater a alopecia androgenética é justamente combatendo a produção do DHT.

Através do uso de alguns medicamentos que inibem a ação da enzima 5-alfa-redutase, responsável por converter testosterona em DHT, é possível interromper a queda de cabelo de origem genética.

No entanto, como dissemos, a ação desse hormônio vai aos poucos reduzindo o número de células que compõem o cabelo. Para que qualquer tratamento possa ser efetivo, é importante que seja iniciado o quanto antes, enquanto ainda existem células produtoras de fios.

Conheça as principais opções de medicamentos para controlar a produção de DHT.

Finasterida

A finasterida é o medicamento mais utilizado para inibir a produção da 5-alfa-redutase, visando reduzir ou interromper a queda. O uso é feito através de comprimidos, que devem ser tomados diariamente. Caso o paciente interrompa o uso, os resultados obtidos tendem a se reverter.

Geralmente os primeiros resultados começam a ser percebidos a partir do 3º mês de uso, mas esse tempo pode variar de pessoa para pessoa. Alguns estudos mostraram uma redução de até 70% nos níveis de DHT com o uso dessa medicação em certas doses.

As mulheres também podem se beneficiar do uso dessa medicação, mas em doses diferentes das dos homens. No entanto, é contraindicada para grávidas ou em fase de amamentação.

Em alguns pacientes, foi percebida uma redução da libido e da quantidade de esperma. No entanto, a observação médica em ambulatório mostra um número muito reduzido de casos e, quando eles ocorrem, costumam se reverter após interrupção da medicação.

Dutasterida

A dutasterida é outro medicamento indicado como diminuidor dos níveis de DHT, por meio da redução da enzima 5-alfa-redutase tipo I e tipo II. Esse inibidor tem ação superior à finasterida, podendo reduzir os níveis de DHT em até 90%, segundo alguns estudos.

Em alguns pacientes, a dutasterida se mostrou capaz de:

  • Melhorar a cobertura do couro cabeludo.
  • Reduzir a queda dos fios.
  • Aumentar a quantidade de fios de cabelo. 

Para o uso desse medicamento, também é indispensável a consulta ao dermatologista, a fim de que você seja orientado sobre as doses indicadas, bem como quanto aos possíveis  efeitos colaterais e contraindicações.

Nos casos de uso da medicação por mulheres, estudos mostraram a presença da substância no organismo por até 6 meses após interrupção. Sendo assim, para as mulheres que pretendem engravidar, a recomendação é aguardar pelo menos 6 meses após interromper o uso.

Descubra os melhores recursos disponíveis contra a queda de cabelo, especialmente a calvície. Basta clicar na imagem para baixar gratuitamente.

Estou ficando careca. O que fazer?

Alterações na dieta e exercícios físicos 

Outra forma de também ajudar no controle do DHT é consumindo alimentos ricos em licopeno, antioxidantes, lisina e zinco, que são considerados inibidores naturais desse hormônio.

A redução do consumo de açúcar também é tida como importante, pois quando consumido em excesso, o açúcar pode gerar processos inflamatórios e aumentar a produção de DHT.

A prática regular de atividades físicas também é uma aliada na regulação hormonal, inclusive pelo maior relaxamento provocado, uma vez que o estresse é tido como um fator que também pode levar ao aumento de DHT.

Leia também!

É possível evitar a queda de cabelo?

O que é bom para fazer nascer cabelo?

Tratamentos clínicos para retardar a calvície

Além dos tratamentos medicamentosos, também existem opções de tratamentos clínicos que, através de outras vias de ação, podem ser bastante efetivos para retardar a calvície em homens e mulheres. 

Laser 1550nm

A terapia a laser é considerada uma das mais seguras e eficazes para o tratamento de patologias capilares, entre elas a alopecia androgenética.

Este método estimula os fios a entrarem mais precocemente na fase de crescimento. O laser também estimula o bulbo capilar, resultando no aumento de fluxo sanguíneo no local, ajudando a nutrir os fios.

Intradermoterapia Capilar

Esse tratamento clínico consiste na aplicação de medicamentos diretamente no couro cabeludo, com o objetivo de melhorar a circulação sanguínea do local.

O método também pode ser associado às técnicas de microagulhamento, com resultados ainda mais efetivos.

Microagulhamento

O microagulhamento atua aumentando a vasodilatação e estimulando a produção celular.

Ele é utilizado para a microinfusão de medicamentos diretamente no folículo piloso. Para isso, são utilizadas minúsculas agulhas, em um aparelho de rolamento. Para o total conforto do paciente, os dermatologistas costumam fazer uso de um anestésico no local.

Conheça como é feito o tratamento para a calvície e qual técnica pode ser melhor para o seu caso:

Como é feito o tratamento para a calvície?

Calvície: o primeiro passo é procurar o dermatologista

Como você pôde ver ao longo deste artigo, reduzir ou interromper a calvície (alopecia androgenética) está diretamente ligado a controlar a produção de DHT, já que esse hormônio é o responsável pela queda dos fios em pessoas com maior sensibilidade.

No entanto, no caso desse tipo de calvície de origem genética, o resultado vai depender muito do momento que o tratamento teve início. Quanto antes você procurar a ajuda do dermatologista, melhor vai ser o resultado.

O ideal é que, aqueles que já possuem casos de calvície na família, iniciem o tratamento de forma preventiva, para evitar o início da perda de cabelo.

Mas para quem já está num processo de calvície, hoje a dermatologia oferece inúmeras opções, com excelentes resultados.

A Clínica Kédima Nassif é especializada em tricologia, que é a área da dermatologia que trata da saúde dos cabelos, incluindo a calvície de origem genética.

Caso esteja em Belo Horizonte, agende online seu atendimento e venha cuidar do seu cabelo conosco!