BLOG

DERMATOLOGIA

Estrias antigas – existe solução?

As estrias são queixas frequentes entre homens e mulheres. Essas marcas surgem devido ao rompimento das fibras elásticas que sustentam a pele, geralmente após o estiramento rápido, que acontece com aumento de peso abrupto, o crescimento espontâneo e a gravidez. Existem dois tipos de estrias: as vermelhas ou arroxeadas (recentes); e as brancas, que são mais antigas podendo ser estreitas ou largas. As cicatrizes recentes são as mais fáceis de tratar. Já as cicatrizes brancas demandam de tratamentos mais profundos, a fim de atenuar o seu aspecto.

Veja os tratamentos mais indicados para acabar com as estrias, sejam elas antigas ou recentes:

Infravermelho: age aquecendo as camadas mais profundas da pele e provocando a sua retração. Além disso, ainda auxilia na produção de colágeno e elastina.

Ácido retinóico: estimula o aumento das fibras de sustentação da pele, diminuindo o aspecto das estrias.

Luz Intensa Pulsada: luz de alta energia que promove a regeneração das estruturas da pele, além de tratar os vasos dilatados que dão a aparência avermelhada.

Vitamina C: a vitamina C é injetada na camada superficial da pele, agindo na formação do colágeno e na melhora da textura e coloração da estria.

Laser fracionado: melhora a textura geral da pele e promove a síntese de novas fibras de colágeno que preenchem a área atrófica da estria. Age por meio de lesão térmica em coluna, na pele, promovendo a síntese de fibras de sustentação.

Radiofrequência: a radiofrequência aquece a camada mais profunda da pele, promovendo a contração e aumento das fibras de colágeno.

Intradermoterapia: são injetadas várias substâncias na camada superficial da pele, que reconstroem e devolvem a elasticidade, firmeza e hidratação.

Carboxiterapia: por meio da injeção de gás carbônico no tecido subcutâneo, a carboxiterapia dilata os vasos sanguíneos e estimula a formação de colágeno, preenchendo as estrias de dentro para fora.

Microagulhamento: promove pequenas perfurações na pele. Pela ação das plaquetas e dos tecidos lesados, há a liberação de fatores de crescimento de estimulam o tratamento da estria de dentro para fora, pela produção do colágeno.

Lembre-se: para alcançar os melhores resultados, é fundamental procurar a ajuda do dermatologista assim que surgem os primeiros sinais das estrias. Só um médico poderá avaliar e indicar os melhores tratamentos para cada caso.